Início » Redes Sociais » Dark post: o que é e por que o Facebook aboliu essa prática?

Dark post: o que é e por que o Facebook aboliu essa prática?

Publicado: 16 de abril de 2019 | Por: | Atualizado: 8 de julho de 2019.

Dark Post? É isso mesmo que você leu! Antes era possível criar campanhas “sombrias” no Facebook para atingir certa fatia do público. Entender por que essa prática foi abolida é essencial para não cair em armadilhas e aproveitar as vantagens dessa plataforma.

Esteja você começando a produzir conteúdo no Facebook ou não, o dark post pode soar sinistro em um primeiro momento.

Mas na prática, ele só tinha o nome sombrio mesmo. Usamos o verbo no passado porque o Facebook Dark Posts não existem mais.

Ou seja, se você ouviu falar nessa prática e estava procurando como colocá-la em prática, pode esquecer.

Mas isso é história para o fim do nosso texto. Antes disso vamos saber o que eles foram, e por que essa técnica era interessante para as empresas.

Entenda melhor essa narrativa emocionante pelo lado negro nos seguintes tópicos:

O que é o facebook dark posts?

Em primeiro lugar, infelizmente o dark post nada tem a ver com o universo de Star Wars.

Isso porque os Facebook dark posts, ou publicação não publicada (unpublished page post) eram posts patrocinados criados por marcas, mas que não ficavam na timeline da fan page de onde foram gerados.

Dessa forma, eles apareciam apenas na timeline de um grupo específico de pessoas, definido de acordo com os interesses de alcance da empresa.

Para isso, o dark post podia ser segmentado a partir de diversas categorias como idade, região, relação com a marca etc.

Isso porque o objetivo do Facebook Dark Posts era possibilitar a criação de conteúdos direcionados a grupos específicos de pessoas, sem lotar a linha do tempo de quem já te conhece com publicações.

Por que as empresas usavam o Facebook dark posts?

As empresas usavam o dark post para poder direcionar melhor seus posts, sem sobrecarregar os usuários e seguidores.

Por exemplo, se você tivesse uma loja de departamentos, seus clientes são de segmentos variados. Então, nem todo conteúdo vai ser igualmente relevante para todos.

Da mesma maneira que caso você tivesse uma promoção de bancos de carro, você não iria mostrar essa promoção para todo seu público, incluindo menores de idade, por motivos óbvios.

Ou seja, levando isso em consideração, o certo seria criar uma nova campanha mais segmentada, em vez de deixar de publicá-la, não é mesmo?

Era aí que entrava o dark post, que permitia a criação e o encaminhamento dessa promoção somente para pessoas de São Paulo, com idade superior aos 25 anos e do sexo masculino, por exemplo.

Assim, esse tipo de ação não só evita a presença excessiva de sua marca na timeline, como garante uma melhor taxa de ROI (retorno sobre o investimento).

Ou seja, o post patrocinado e escondido era capaz de gerar mais engajamento, pois só aparecia para quem já tinha relações sociais com o assunto.

Para isso, o modo de como fazer dark post era semelhante ao procedimento atual de anúncios do facebook, mas com aquele processo de segmentação mais detalhado com a opção de não publicar na linha do tempo.

Por que o Facebook tirou do ar a estratégia?

A principal missão da rede social Facebook é “conectar” pessoas. Isso é sempre ressaltado pelo CEO e cofundador Mark Zuckerberg em seu perfil.

E pode-se dizer que esse objetivo foi mais do que bem sucedido: afinal, em janeiro de 2018 já eram mais de 2 bilhões de pessoas na rede social.

Mas assim como as anunciadas atualizações do Facebook destacaram em fevereiro de 2018, a equipe da rede social percebeu que a massa presente nas timelines era em maioria de empresas e estava muito mais frequente que a de reais usuários.

Talvez não por coincidência essa visão da rede social tenha acontecido após o atual BOOM das fake news.

E você pode pensar:

“Mas o que as empresas tem a ver com fake news?” Ou até qual a relação dessas informações com dark posts Facebook ads?

Bom, o Facebook não se responsabilizava por analisar o conteúdo de todos os posts patrocinados, pois a ideia é que cada um possa falar o que pensa.

Mas a presença de grandes (e pequenos) veículos de comunicação, levaram esse pensamento muito além.

Isso porque essa falta de “fiscalização”, abria uma margem para que qualquer pessoa que tivesse uma fan page e fizesse o pagamento, teria seu conteúdo não só publicado, como também impulsionado.

Seja ele verdadeiro ou não.

Então, no caso dos dark posts facebook ads, o agravante era ainda maior, já que o conteúdo nem sequer ficava atrelado a timeline das empresas.

Além disso, eles só podiam ser vistos por alguns usuários, aumentando as chances de influência sobre opiniões de usuários a partir de notícias falsas.

Dessa maneira, o Facebook tem se posicionado fortemente contra essa prática, eliminando recursos que possam ajudar a encobrir esse tipo de comportamento das redes sociais do time.

Por isso, em 2017 os dark posts Facebook ads foram removidos das opções de anúncios patrocinados.

Além dos dark posts, outras funções foram removidas e até adicionadas para garantir maior transparência dentro da rede social.

E ainda atrelado aos posts patrocinados foi inserida a opção de posts políticos, onde é possível saber até qual foi o valor pago por algum post partidário.

Eleições 2016

Ainda não ficou claro a grandiosidade desse movimento de fake news nas redes?

Bom, em matéria divulgada pelo Estadão, o próprio Mark Zuckerberg anunciou que após as acusações de que o Facebook teria influenciado as eleições presidenciais dos Estados Unidos da América em 2016, foram feitas pesquisas e estudos dentro da rede social ao longo do período eleitoral norte-americano.

Após os resultados, o CEO informou que mais de 50 mil anúncios (incluindo dark post) pagos foram publicados por uma suposta organização russa que tinha como intenção influenciar as eleições de 2016.

Apesar de não ser possível afirmar que realmente a publicações desses dark posts Facebook ads tenham relação com o resultados das urnas, a rede social achou melhor trabalhar para impedir que esse tipo de situação pudesse se repetir.

Atualmente, a plataforma já está aplicando a nova política a todas as outras, como o WhatsApp, que de acordo com matéria publicada pelo Jornal Internacional El País, também vai passar a sinalizar quais mensagens foram encaminhadas.

Além disso, o aplicativo vai limitar o encaminhamento apenas a 20 conversas de uma vez, com o intuito de evitar a proliferação de fake news.

Invista em boas práticas no Facebook para não ir para o lado negro da força!

Então, estivesse você pesquisando por como fazer dark post ou só pesquisando, agora já sabe que ele não só foi removido, como também os motivos que levaram a essa decisão por parte da rede social.

Além disso, esse é o tipo de caso que pode ressaltar a importância de um conteúdo de qualidade, e que referências e embasamentos reais geram a credibilidade de tudo que é publicado.

Caso queira conhecer outras técnicas para Facebook, ou Marketing Digital, continue acompanhando o conteúdo do Blog Ideal Marketing.

2019-07-08T16:38:44-03:00

Deixar Um Comentário

Diagnóstico Gratuito do seu Marketing