Use o Google Search Console e saiba em qual ponto você deve otimizar o site da sua empresa

Use o Google Search Console e saiba em qual ponto você deve otimizar o site da sua empresa

Ícone Ideal Marketing

Por:

Publicado: 30 de junho de 2018 | Atualizado: 13 de agosto de 2019.

Google Search Console é a ferramenta com grande potencial para alavancar os resultados do seu negócio. Se você estava à procura de alguém para dizer como conseguir mais tráfego de busca no seu site, você encontrou!

Está sem tempo de ler agora? Baixe este conteúdo e acesse offline

Se você acaba de ingressar no mundo digital, seja com um site da sua empresa, ou até mesmo um blog, já deve ter ouvido falar em algumas ferramentas do Google para conseguir melhorar o desempenho do seu trabalho.

Neste conteúdo vamos falar sobre as funcionalidades dessa ferramenta e certamente será benéfico aos resultados do seu empreendimento.

Trata-se de um material um pouco extenso, mas com dicas fundamentais para saber trabalhar com o Google Search Console.

Vamos ver alguns dos temas abordados na sequência do artigo:

Afinal, o que é Google Search Console?

Saiba o que é Google Search Console

Para analisar o comportamento dos seus potenciais clientes dentro do seu blog, o Google Analytics é uma boa ferramenta, mas o Search Console também é uma peça-chave para você alcançar o sucesso com suas estratégias.

Portanto, trabalhe com as duas combinadas.

O Google Search Console permite entender como o buscador do Google enxerga seu site e, assim, você consegue realizar as otimizações necessárias para ser encontrado com maior facilidade.

Tudo por meio de ferramentas e diagnósticos oferecidos pelo Search Console. Isso fará você manter websites e aplicativos para dispositivos móveis compatíveis com o Google.

E isso significa aumento de tráfego em seus materiais.

Vamos ser o mais objetivo possível: O Google Search Console é um serviço gratuito oferecido pelo Google para auxiliar você a monitorar e manter a presença do seu site nos resultados de pesquisa no buscador do Google.

Ou seja, para ser encontrado, você deve investir nessa ferramenta capaz de impulsionar os resultados do seu negócio.

História do Google Search Console

Em 2005, mais precisamente no mês de junho, o Google apresentou uma nova ferramenta chamada Google Sitemaps.

No início esta ferramenta tinha objetivos bem simples: manter o Google informado quanto às novas web pages e atualizações e, assim, aumentar a quantidade de páginas vasculhadas constantemente pelos robôs a fim de posicioná-las no melhor lugar dos buscadores.

Esse nome durou pouco tempo.

Um ano depois a ferramenta foi rebatizada e passou a ser conhecida como Google Webmaster Tools e, um pouco mais tarde, em 2016, mais uma vez sofreu alteração e foi renomeado como Search Console e por enquanto o nome permanece o mesmo.

Google Search Console e Google Webmaster Tool: qual a diferença?

Bom, você deve ter notado a presença desses dois nomes no último tópico, mas vamos falar sobre a confusão feita por algumas pessoas até hoje.

Muitos acham que Google Search Console e o Webmaster são coisas distintas. Mas não se engane: são as mesmas ferramentas, mas apenas mudaram de nome.

As funcionalidades continuam as mesmas.

O principal motivo dessa alteração é dar a impressão de abrangência da ferramenta para os usuários.

Google Search Console tem como público-alvo todos usuários preocupados com buscas, ou seja, trata-se de uma quantidade muito ampla e isso é importante para conseguir novos adeptos da ferramenta.

Mas houve alguma mudança?

Se você teve algum tipo de contato com a ferramenta enquanto Webmaster, fique sabendo: não ocorreram mudanças.

Mas é bom você ficar atento, pois essas mudanças ocorrem repentinamente, mas no início ficam em fase de testes e, se o desempenho for positivo, o Google mantém a nova funcionalidade.

Instalação e configuração

Agora você já sabe o que é Google Search Console. Então chegou a hora de aprender a configurá-lo de maneira simples.

Vamos enumerar todos os passos:

1. Se você já possui uma conta no Gmail, essa tarefa vai ser um pouco mais simples Crie sua conta no Search.

2. Agora adicione seu site. Primeiro clique no”Add a site” e cole a URL do seu site no espaço.

3. Nesta etapa clique na aba “Alternate methods” e selecione “HTML tag”.

4. Depois disso o Google vai fornecer um código HTML. Cole na home do seu site. Se você usa o WordPress como a maioria, para acessar o HTML clique em “Aparências” e depois em “Editor”.

Agora, se você usa outra ferramenta, também é preciso encontrar o menu de acesso ao HTML da home.

Em ambos os casos, quando encontrar o HTML da home, cole o código fornecido pelo Google.

O código ficará semelhante a este:

5. Salve todas as modificações realizados. Se estiver no WordPress, clique em “Atualizar arquivo”, espere a confirmação, volte ao Google Search Console e clique “Verify/Verificar”.

6. Pronto, agora você já está instalou e configurou o Google Search Console.

Agora você irá se deparar com algumas funcionalidades que talvez não conheça, então vamos apresentar algumas para você na sequência.

Funcionalidades do Google Search Console

O Google Search Console tem algumas funções que você deve conhecer antes de sair clicando em tudo que encontra na ferramenta.

Veja algumas delas:

  • Aparência de pesquisa (Search Appearance);
  • Tráfego de pesquisa (Search Traffic);
  • Índice do Google (Google Index);
  • Rastreamento (Crawl);
  • Problemas de segurança.

Vamos falar um pouco sobre cada um desses pontos a fim de deixar você mais por dentro do assunto.

1. Aparência de pesquisa

Aqui você consegue analisar possíveis otimizações a se fazer para melhorar a aparência do seu site quando ele aparecer nos resultados de busca do Google.

Dados estruturados

Trata-se de um relatório para identificar os dados estruturados em seu site, e que o Google consiga identificar e entender para adicionar rich snnipets, ou seja, os resultados de buscas com informações otimizadas para deixá-los atrativos.

Não sabe o que são dados estruturados?

É um conjunto de informações com estrutura padrão, como um artigo que contém autor, data, título, mas também pode ser uma lista de hamburguerias com informações de endereço, avaliação de consumidores, preços etc.

Esse relatório serve para analisar dados com erros de marcação encontrados nas páginas do seu site/blog.

Veja os dois tipos de erros de dados estruturados:

Campo ausente: quando não aponta qual o autor ou esquece de pôr o título do artigo, por exemplo.

Melhor ou pior avaliação ausente: quando um produto é classificado em uma escala de 5 pontos, mas não foram definidos parâmetros de mínimo e máximo valor.

Experimente entrar em contato com sua operadora de telefone e, ao finalizar o atendimento, vão pedir uma avaliação – “Vote 5 para um atendimento ótimo e 0 para um muito ruim”, por exemplo.

Este é o parâmetro que você deve definir para uma avaliação.

Agora clique nos itens encontrados no relatório e terá um detalhamento maior das marcações encontradas.

Use o marcador de dados para corrigir esses apontamentos. Vamos falar um pouco mais sobre esse marcador de dados a seguir.

Marcador de dados estruturados

Depois de localizar os erros nos dados estruturados, esta é a ferramenta para você indicar para o Google o que é cada elemento do seu site, caso você tenha um conjunto de informações estruturadas, como eventos, artigos, produtos etc.

Repare, você deve escolher as informações que deseja destacar no meu localizado à esquerda da sua tela.

(imagem)

Se você quer analisar um artigo, por exemplo, terá que apontar título, autor, data de postagem, imagem, categoria, avaliação média.

(imagem)

Melhorias HTML

Ao gerar este relatório no Google Search Console, como o próprio nome já diz, é possível realizar melhorias nos problemas localizados durante o rastreamento do Google no seu site.

Com essas melhorias o posicionamento do seu blog nos buscadores online será melhor, pois nas pesquisas do Google ele sempre apresenta aos usuários conteúdos únicos e exclusivos.

Veja onde encontrar essas opções dentro do Google Search Console:

(imagem)

Abaixo o significado de cada um dos termos citados na imagem acima:

Meta descrição: sabe aquele resuminho exibido logo nos buscadores? Se não sabe, veja como fizemos a da Ideal Marketing.

Google Search Console saiba o que é meta descrição

É mais ou menos um resumo do que o usuário encontrará na sequência.

O relatório pode identificar possíveis erros, como meta descrição duplicada, longa ou curta demais. Aqui usamos e indicamos entre 140 e 160 caracteres. Mais do que isso pode ser cortado pelo Google e isso é negativo para experiência do usuário.

Títulos: este identifica como está a configuração do título das páginas: ausentes, longos, curtos, não informativos ou duplicados.

Ao clicar nos problemas destacados, será gerado um relatório das páginas em que foi encontrado erros.

Se houver de títulos duplicados, por exemplo, você pode alterar o <title> para as páginas apresentadas no relatório.

Conteúdo não indexável: são páginas não rastreadas e indexadas pelo Google.

Links para o site: Lembra dos rich snippets citados? Quando eles entram em ação, é possível que eles apresentem sitelinks, como os da imagem logo a seguir:

Google Search Console sitelinks

Se você não desejar que um sitelink apareça nos resultados de buscas do Google, você pode rebaixá-lo, assim não aparecerá mais na busca dos usuários.

Para fazer isso, basta colocar o endereço do sitelink e clicar em rebaixar.

(imagem print da ferramenta)

Pronto! Ele não aparecerá mais nos resultados de busca.

Páginas aceleradas para dispositivos móveis

Esta é uma funcionalidade implantada recentemente. Ela disponibiliza um relatório com erros de páginas que foram aceleradas para dispositivos móveis.

O intuito é facilitar a detectação de problemas na sua implementação das AMPs (sigla de Accelerated Mobile Pages) em todo o website.

Para iniciar suas AMPs, sugerimos que você siga as orientações deles. Basta acessar o link.

Para mais informações, temos outra sugestão bem legal para você, acesso o relatório do próprio Search Console sobre Diretrizes de pesquisa Google para AMP e Relatório de AMPs.

2. Tráfego de Pesquisa (Search Traffic)

Este relatório serve para conseguir detalhes do tráfego dentro seu blog ou site.

Search Analytics

Com esse relatório você consegue identificar o tráfego orgânico, ou seja, os materiais encontrados nos buscadores sem o investimento em anúncios Google AdWords.

A partir desses resultados, você pode avaliar possíveis otimizações para melhorar ainda mais o desempenho do seu blog.

Agora veja as informações apresentadas por esse relatório:

Palavras-chave em que seu site foi localizado nos resultados de busca: caso você tenha problemas para analisar as palavras-chave que fizeram um usuário chegar até seu conteúdo, os relatórios gerados pelo Google Search Console é uma ótima solução.

Dê uma atenção especial às palavras com maior número de tráfego e invista nelas.

Páginas referenciadas do seu site: analise as páginas relevantes, que realmente trazem resultados ao seu site.

Países que acessaram: dependendo dos números, otimizar seus conteúdos e apostar em conteúdos em outro idioma pode ser uma boa alternativa para expandir ainda mais o alcance do seu trabalho.

Acesso mobile ou desktop: casos o relatório do Google Webmaster Tools aponte grande acesso via dispositivos móveis, verifique se suas páginas são responsivas, ou seja, se elas se adaptam a diferentes tamanhos de telas.

Quer saber o que é site responsivo com mais detalhes? Acesse nosso conteúdo e entenda um pouco melhor.

Pesquisa geral ou especificamente em imagens: trata-se de uma forma de identificar se as imagens do seu conteúdo estão sendo indexadas.

Análise por data: o relatório do Google Search Console extrai e analisa comparações de dados por datas específicas.

Clique: quantidades de cliques que levou um usuário até o site do seu empreendimento.

Impressões: a quantidade de visualizações que o link para o seu site teve nos resultados de busca do Google, mesmo sem a exibição pela rolagem.

CTR (click-through-rate): refere-se a contagem de cliques dividida pela quantidade de impressões. Se o CTR do seu site estiver alta, não se preocupe, pois ela está assertiva.

O que isso quer dizer?

Um usuário viu, se interessou e clicou.

Posição: aqui o relatório do Google Search Console vai indicar a posição média do seu sites nos resultados de busca. Caso não haja impressões, a posição será exibida como um travessão (—).

Aqui falamos dos principais pontos sobre esse relatório Google Webmaster, mas se você ainda quer saber um pouco mais sobre o tema, acesse o artigo de ajuda do próprio Google Search Console.

Links para o seu site

Também conhecidos como backlinks, esse é um critério de peso para o Google posicionar seu blog ou site nos em lugares de destaque.

Trata-se da quantidade de links que referenciam alguma página do seu negócio na web.

Nessa parte do relatório você terá acesso aos sites que fizeram referência ao seu. Assim é possível saber quem está sendo atraído com seus conteúdos e tirar insights de possíveis parcerias.

Links internos

Assim como último, também são importantes para conseguir um bom rankeamento no Google.

Exatamente por isso esse relatório do Google Search Console é essencial para analisar a estrutura dos links internos usados no seu próprio site e verificar se as páginas importantes estão sendo referenciadas.

Ações manuais

Mesmo com a utilização de algoritmos para deixar a qualidade das pesquisas mais afiadas, o Google também usa mecanismos manuais em alguns casos específicos.

E o que isso quer dizer?

Se houver alguma informação incorreta no seu domínio, por exemplo, isso poderá render em uma penalidade pelo Google.

Esse castigo pode fazer seu site despencar nos resultados de busca e para recuperar as posições é um trabalhão.

Veja alguns motivos e evite-os:

  • Site invadido;
  • Spam gerado pelo usuário;
  • Hosts gratuitos com spam;
  • Marcação estruturada com spam;
  • Links artificiais para seu site;
  • Conteúdo superficial com pouco ou nenhum valor agregado;
  • Técnicas de cloaking e/ou redirecionamentos não autorizados;
  • Texto oculto e/ou excesso de palavras-chave.

Se os materiais do seu negócio não aparecem no buscador do Google ou até são localizados, mas com o desempenho muito inferior ao de algum tempo atrás, verifique se houve ações manuais.

A central de ajuda do Google pode te auxiliar para corrigir cada um dos motivos citados na lista acima.

Segmentação internacional

Lembra de uma parte do relatório que citamos falando sobre Search Analytics para encontrar usuários que acessam seu material de outros países?

Nessa funcionalidade de segmentação internacional você consegue verificar se realmente foram feitas as otimizações mais adequadas para o seu conteúdo.

Quer uma ajuda do Google? Acesse o link.

Acesso em dispositivos móveis

Não, não estamos falando sobre aquele outro relatório referente a aceleração de páginas para dispositivos móveis.

O objetivo aqui é apresentar o desempenho das suas páginas para os dispositivos móveis e também aponta os possíveis erros.

Mais uma vez vamos destacar os principais erros aqui:

  • Viewport não configurada;
  • Viewport de largura fixa;
  • Conteúdo não ajustado para a viewport;
  • Tamanho pequeno de fonte;
  • Elementos de toque muito próximos;
  • Uso de intersticiais.

Veja mais algumas informações com essa ajuda do Google.

3. Índice do Google (Google Index)

Vamos apresentar algumas índices apontados por meio do Google Search Console:

Status do índice

Esse relatório consegue apontar quais são as páginas indexadas pelo Google, as bloqueadas pelos robôs e as removidas.

Mas o que você deve analisar dessas informações? Atente-se aos seguintes pontos:

Aumento constante de páginas indexadas: estas são as páginas rastreadas e indexadas pelo Google, ou seja, ele já verificou todo conteúdo de determinada página;

Quedas inesperadas: podem significar que seu servidor está sobrecarregado ou até mesmo fora de operação e isso pode ser um empecilho para o Google acessar seu conteúdo;

Volume de índices alto: podem apontar conteúdos duplicados, páginas geradas automaticamente ou até mesmo que o site possa ter sido invadido;

Mudanças repentinas: indicam problemas de segurança ou de configurações do site.

Google search console palavra-chave

Você sabe o que é palavra-chave, não? Se não sabe, vamos falar um pouquinho por aqui, mas se quiser se aprofundar no tema, vale acessar o link e conferir nosso material.

Palavra-chave é a forma que um usuário encontrar você nos buscadores online.

Se você possui um negócio de manutenção de bicicletas em São Caetano, por exemplo, um boa palavra-chave para utilizar pode ser “manutenção de bicicletas em São Caetano”.

Trata-se de uma palavra cauda longa, ou seja, mais segmentada e provavelmente renderá mais resultados ao seu negócio, pois você irá conversar com pessoas mais próximas de adquirir seu serviço.

Bom, agora vamos falar um pouco mais sobre esse ponto disponível no relatório do Google Search Console.

Esse tópico do relatório aponta quais palavras-chave foram mais usadas no seu site, as suas variações, a frequência de citação no conteúdo e quais são as principais páginas do seu domínio que fazem referência a elas.

Depois disso, faça uma análise combinada com os números do Search Analytics, assim você entenderá como o Google interpretou as palavras-chave encontradas no seu site.

Aqui você também consegue notar se houve alguma invasão no seu site. Caso apareça algumas palavras sem muito sentido, desconfie e toma as atitudes necessárias para reforçar a segurança do seu site.

Se alguma palavra-chave importante não aparecer no relatório do Search Console, talvez tenha algum problema para indexá-la. Logo mais iremos falar sobre “Erros de rastreamento” para te ajudar com esse probleminha.

Recursos bloqueados

Para suas páginas serem indexadas de maneira correta, o robô do Google precisa fazer a varredura completa em seu domínio.

Por isso é preciso deixar todos arquivos bem acessíveis. Assim o processo será executado de forma adequada.

Se durante o processo de varredura o Google encontrar problemas, não se preocupe, pois neste relatório você terá acesso a todos os recursos bloqueados para a leitura dos robôs.

Identifique-os, clique no host para ver os problemas relacionados e em cada um dos recursos estará a instrução para solucionar seu problema.

Remover URLs

Se você produziu um conteúdo e, depois de algum tempo, percebeu que ele não estava tão bom assim, é possível bloquear temporariamente essa página do seu domínio para não aparecer nos resultados de busca do Google.

Para isso basta enviar via Google Search Console uma solicitação para remover esta URL.

Se deseja uma remoção permanente, veja algumas orientações neste artigo de ferramentas para remover URLs.

4. Rastreamento (Crawl)

Nesta seção do relatório Google Search Console é possível analisar com exatidão como o Google rastreia seu site para indexá-lo no buscador e quais são os problemas encontrados.

Erros de rastreamento

Lembra quando falamos sobre ele um pouco acima? Agora vamos apontar os erros que aparecem nos relatórios quando o Google encontra algum problema para rastrear e indexar algum material do seu site.

Erros do site: erros encontrados nos últimos 90 dias que impedirá o acesso a todo seu website.

Erros de URL: são problemas específicos para rastrear as páginas do seu site. Sabe quando você digita alguma URL e se depara com a mensagem “Não é possível acessar o site”? É exatamente isso.

A partir do relatório webmaster tools é possível resolver esse problema – você terá um auxílio da ferramenta, claro.

Estatísticas de rastreamento

Nessa parte do relatório os gráficos se dividem em páginas rastreadas por dia, quilobytes recebidos e tempo de download da página.

Não atente-se a pequenas mudanças, foque em números mais agressivos, pois eles serão os responsáveis por grandes mudanças nos resultados da sua estratégia.

Quer uma explicação mais completa? Dê uma olhada nesse relatório de estatísticas de rastreamento (websites). Ele também pode te ajudar.

Buscar como Google

Essa ferramenta do relatório gerado pelo Google Search Console faz uma simulação de como o Google indexa sua página com o objetivo de garantir que elementos em Flash ou Javascript estejam adequados.

O mais relevante nessa parte é analisar a pesquisa que foi:

Concluída: quando o Google consegue rastrear todo o seu site;

Parcial: algum erro foi detectado durante o rastreamento e a lista completa do relatório de erros e como resolvê-los está aqui;

Redirecionado: o servidor respondeu a um direcionamento.

Testar Robots.txt

Com os arquivos robots.txt é possível verificar e indicar quais materiais você não quer que sejam indexados e também aponta as URLs que serão bloqueadas para não ficar disponível nos resultados de busca do Google.

O intuito desta parte do relatório Google Search Console é não sobrecarregar o servidor.

Veja mais esse artigo para ficar ainda mais por dentro do tema.

Parâmetros de URL

Nessa parte do relatório emitido pelo Google Search Console você consegue indicar os parâmetros usados no seu website e qual a sua finalidade a fim de evitar um entendimento errado do Google, como a duplicação de conteúdo.

Se seu site for focado na venda de diversos produtos eletrônicos, por exemplo, e podem ser separados por categorias de marcas, esses filtros levarão os usuários a diferentes sessões, mas às vezes podem apresentar o mesmo conteúdo.

Quando se busca um produto em um site e depois de direcionar um qualquer para seu carrinho de compras é possível acessar todos os itens dentro do seu carrinho antes de fechar a compra, certo?

Muitas vezes, antes de confirmar a compra, pode ter aquela revisão nos produtos e essa página, na maioria das vezes, disponibiliza o mesmo conteúdo do catálogo, mas com URL diferente.

E essa é a importância de indicar os parâmetros para o Google. Assim não há margem de para o Google identificar duplicidade dentro do seu site.

5. Problemas de Segurança (Security Issues)

Sabendo de problemas de segurança com o Google Console

Se seu site foi invadido ou infectado com malware, ou seja, algum tipo de software maligno que pretende acessar secretamente um dispositivo sem conhecimento do usuário, é nessa seção em que você saberá se ocorreu alguma invasão ou infecção do sistema.

Para impedir essas ações indesejadas, siga as orientações do Google e livre-se desse risco para o seu site/blog.

Mas se mesmo assim for encontrado algum problema desse tipo no relatório Google Search Console o indicado, antes de tudo, é você mesmo realizar uma análise do código e ver se ele oferece algum download de malware e caso encontre, solicite uma solução para problema por meio do Search Console.

Assim que esse erro for corrigido, solicite um pedido de reconsideração para o Google analisar novamente seu site.

6. Outros recursos (Other Resources)

Aqui vamos apontar todas as outras funcionalidades que também servem para aprimorar ainda mais a otimização do seu site

Ferramenta para testes de estruturados

Com essa alternativa do Google Search Console você consegue inserir URL ou código-fonte e verificar se os robôs do Google conseguem ler.

Assistente de marcação de dados estruturados

Uma ferramenta avançada para marcar dados estruturados, semelhante ao Marcador de dados do menu Search Appearance.

Markup Tester para e-mail

Trata-se de uma opção para validar dados estruturados de HTML de e-mail com objetivo de melhorar o envolvimentos nas mensagens. Para isso é adicionado informações que permite ao destinatário configurar sua caixa de entrada.

Google Meu Negócio

É nesse campo onde você pode informar para o Google o endereço físico e telefone da sua loja ou escritórios. Assim os usuários irão encontrá-lo quando pesquisar no Google.

Google Merchant Center

Aqui é o lugar para configurar informações dos seus produtos para facilitar a localização deles na web.

Pesquisa personalizada

Sabe quando buscamos um produto específico dentro algum site? É isso mesmo que é analisado aqui.

Com o relatório Google Search Console você consegue verificar as pesquisas dos usuários dentro do seu site para criar ou otimizar a disposição do conteúdo dentro da sua página.

Academia de webmaster

Nesta área estão reunidas todas informações e conteúdos para você criar e otimizar um site da melhor maneira e ser encontrado no buscador do Google com mais facilidade.

Para isso você terá acesso a cursos com muitas dicas, vídeos para aprender melhor como funciona a pesquisa no Google e também sobre o Search Console.

Conheça as principais ferramentas do Google Search Console

Agora você sabe o que é Google Search Console, então vamos falar um pouco de cada uma das funcionalidades dessa ferramenta capaz de impulsionar os resultados do seu negócio:

Menu principal

Para chegar no menu principal não é de uma forma tão comum como em outras ferramentas usadas em estratégias de marketing digital.

Em vez de clicar em “Página inicial” localizada na barra da lateral esquerda da tela, clique no link do seu site, como mostra a imagem a seguir:

(imagem/print)

Se você tiver duas empresas para gerenciar, não tem problema, os dois links estarão disponíveis no mesmo campo.

Site Dashboard – Painel do site

Após selecionar o site desejado para iniciar o trabalho, você pode clicar na home do Search Console. Sempre comece por aqui.

Este menu lhe informa sobre temas importantes para os resultados dos seus materiais.

Ele avisa se o Google encontrou algum tipo de erro na hora de vasculhar seu site, também mostra um gráfico com pesquisas e cliques que levaram visitas a sua página nos últimos 30 dias.

Além disso, no canto esquerdo o Google Search Console disponibiliza um gráfico de barras indicando a proporção de páginas do seu site/blog indexadas pelo Google.

Quanto maior a proporção desse número, melhor para sua empresa.

O Site Dashboard, ou Painel do Site, é uma espécie de resumo de todas informações fornecidas pelo Google Search Console.

Site Messages – Mensagens do Site

Por aqui o Google Search Console comunica automaticamente seus usuários automaticamente sobre mudanças ou avisos relevantes. Alertas sobre a presença de malware ou de links não naturais.

E o que isso significa?

Se seu blog for hackeado ou houver algum esquema de links pagos com o intuito de inflar de forma artificial seu site/blog, talvez o Google saiba antes mesmo de você e lhe informe para tomar as devidas providências, como investir em segurança, por exemplo.

Por aqui também recebemos as informações sobre mudanças ações no Webmaster Tools, como mudar o alvo geográfico de suas ações em ambiente digital, por exemplo.

Search Appearance – Aspecto da pesquisa

Você considera seu site atraente quando aparece nos resultados de busca do Google?

Neste menu você terá acesso a formas de identificar e modificar como as páginas do seu site são exibidas para o usuário.

Aqui o Google Search Console irá explicar como melhorar cada aspecto do seu site quando aparece nos buscas na web.

Veja alguns pontos que ele pode lhe auxiliar:

  • Títulos
  • URL
  • Snippet
  • Sitelinks
  • Search within a site

Structured Data – Dados estruturados

Este menu do Google Search Console auxilia na verificação do seu site com o objetivo de saber se o Google consegue extrair os dados estruturados.

Se o usuário não clicar em nada visível na tela esse relatório irá mostrar apenas um gráfico com os possíveis erros de HTML dentro das suas páginas.

Agora se você deseja algo mais complexo clique em “Help”, depois em “Structured data testing tool” e na sequência em “structured data testing tool” novamente, desta vez com uma setinha.

Sitelinks – Links para o site

Aqui você poderá indicar ao Google o que você não quer que aparecem nos resultados de busca.

Mas tenha atenção, muitos acham que nesse menu é para indicar o que quer exibir, mas é ao contrário, como dito acima.

Search Traffic – Tráfego de pesquisa

Este é o menu mais popular do Google Search Console. Como o nome já diz, aqui você terá acesso a informações de alcance dos conteúdo publicados no seu blog/site.

Além disso você também poderá analisar quais páginas não ficam bem quando acessadas via smartphone.

Não perca tempo e use o Search Console como aliado do seu negócio

Agora você você já sabe para que serve o Google Search Console e também conheceu todos os temas que cercam essa ferramenta.

Você viu desde a instalação da ferramenta até todas as suas funcionalidades, uma a uma com detalhes super importantes para saber lidar com essa novidade para o site da sua empresa.

Ah, também não deixamos de lado as ferramentas pertencentes ao Search Console que também será essencial você conhecer desde o início da sua experiência com a plataforma.

Se você quer alguém do seu lado para indicar qual o caminho mais adequado e quais atitudes tomar para conseguir ter resultados melhores no seu negócio, não tenha receio de apostar no Google Search Console.

Trabalhar com marketing digital, principalmente com a produção de conteúdo para a nutrição de leads, exige que você tenha o apoio de algumas ferramentas para tornar todo o processo mais fácil e assertivo.

Portanto, não deixe de trabalhar com o Search Console e vem aqui contar pra gente como está sua experiência com essa ferramenta capaz de alavancar o desempenho do seu empreendimento!

2019-08-13T17:22:54-03:00

Deixar Um Comentário

Diagnóstico Gratuito do seu Marketing