>>Descubra o que é neuromarketing e saiba como ler a mente de seus clientes

Descubra o que é neuromarketing e saiba como ler a mente de seus clientes

Publicado: 13 de setembro de 2018 | Por: | Atualizado: 8 de agosto de 2019.

Está sem tempo de ler agora? Baixe este conteúdo e acesse offline

Você sabe o que é neuromarketing? Conhecer esse conceito é importante para quem quer conseguir despertar os gatilhos mentais certos para conquistar mais clientes. Vem entender mais essa metodologia e entre na mente dos seus consumidores!

E-book - dicas essenciais para fidelizar sua carteira de clientes

Se você pudesse escolher um superpoder, qual seria?

Alguns diriam voar, outros ter uma super força, mas com certeza o poder de ler mentes também entraria na lista.

Afinal de contas, saber o que o outro está pensando e como ele toma decisões é um dos grandes mistérios da humanidade.

Até hoje não conseguimos chegar nem perto de desvendar esse segredo, mas o que sabemos é que o processo de tomada de decisões não é inteiramente racional e lógico.

Isso porque a decisão começa a ser formada no nosso subconsciente, despertado por algum estímulo ao qual fomos expostos.

Ou seja, o segredo está em descobrir o poder de cada estímulo e a reação que ele desperta em nós.

Então, se você trabalhar com Marketing, a sua tarefa é desvendar tudo a respeito dessa questão para conseguir inserir em suas campanhas esses gatilhos para conquistar seus clientes.

A tarefa pode parecer ingrata, mas e se te dissermos que já existe uma metodologia para te ajudar nessa missão?

Se você quiser saber mais sobre neuromarketing e como ler a mente de seus clientes, confira o conteúdo:

O que é neuromarketing?

neuromarketing

Apesar do nome o neuromarketing não é uma metodologia, mas sim uma forma de estudar o comportamento humano por meio de informações da atividade cerebral.

Você tem que concordar que por mais que estudemos a fundo o mercado consumidor, nós só estaremos conhecendo o ponta do iceberg.

Isso porque com pesquisas nós entendemos apenas as ações, não o que motivou determinada pessoa a escolher por B e não por A.

Mas se contarmos com ajuda da neurociência podemos ir além e descobrir quais estímulos afetam determinada área do cérebro e correspondem a ação desejada.

Sabendo dessa relação, aí sim o Marketing entra em campo: é hora de criar estímulos específicos para despertar gatilhos mentais estratégicos.

Isso é, o seu estímulo vai acionar um atalho o qual o nosso cérebro entende que não precisa ponderar a ele, tomando assim um decisão “automática”.

E é esse engajamento, também chamado de persuasão, que vai fazer um consumidor querer comprar um produto exposto em uma campanha.

Viu só como como esse método é importante para seduzir novos clientes?

Se você quer saber como fazer o neuromarketing aplicado à redação publicitária, confira o próximo tópico.

Como aplicar o neuromarketing nas campanhas?

Talvez o tópico anterior tenha deixado essa impressão, mas para praticar técnicas de neuromarketing não é necessário investir em estudos caros e demorados.

Isso porque já existem diversos estudos por aí que exploram os mistérios da mente humana e nos contam quais são as táticas mais persuasivas.

A seguir, separamos alguns para você já colocar na mão na massa.

Explore os sentidos

neuromarketing sentidos

Quem é que não guarda uma boa recordação de alguma música ou lembra de um momento especial ao sentir um cheiro específico?

Pois saiba que você pode se aproveitar desse tipo de associação para beneficiar a sua empresa!

Sendo assim, procure entender as preferências do seu público e explore todas as possibilidades dessa estratégia.

Para isso, veja se existe alguma aroma o qual pode remeter a sua loja e até algum jingle chiclete pode ser uma alternativa.

Se optar por estímulos visuais, procure usar um layout cativante e também preferir imagens com pessoas para despertar empatia.

Além disso, saber um pouco de psicologia das cores também é uma boa pedida. Confira o nosso artigo sobre o tema e entenda mais sobre o assunto.

Use o storytelling a seu favor

neuromarketing storytelling

Como já falamos aqui no blog, o storytelling é uma forma de contar histórias para envolver e despertar emoções no público.

Com tais características fica claro que essa é uma das principais técnicas usadas dentro do neuromarketing, não é mesmo?

Isso porque por meio dessa tática você consegue ativar sensações e se aproximar do seu cliente para ser facilmente lembrado por ele.

Para isso, procure encontrar formas criativas para transmitir a sua mensagem, como, por exemplo, contar uma história sobre tradição em vez de simplesmente falar que seu produto é tradicional.

Além disso, aproveite o poder de palavras persuasivas, como verbos no imperativo e outras que convidem o leitor a tomar um atitude.

Inclusive, inserir um call to action, ou seja, aqueles botõezinhos que direcionam o visitante para a ação desejada pode ser uma boa alternativa para trazer mais resultados.

Gamification

neuromarketing gamificação

Nós também já falamos sobre gamification aqui no blog, mas não custa nada trazer de novo esse conceito muito importante dentro do neuromarketing.

Afinal de contas, todos nós temos algum jogo o qual mexeu conosco em algum momento da vida e guardamos com carinho essa lembrança.

Por isso, invista nessa forma lúdica de se aproximar do cliente e criar um laço afetivo com ele.

Para isso, desenvolva um jogo o qual envolva recompensas e incentivos, como bônus e promoções, para despertar o interesse do seu consumidor.

Desperte o sentido de urgência

neuromarketing urgencia

Por falar em despertar o interesse do consumidor, uma forma simples de se fazer isso é despertando o senso de urgência nele.

Com anúncios dizendo “últimas peças” ou “último dia da promoção”, essa é uma boa estratégia para se usar em condições especiais.

Isso porque o cérebro desse consumidor vai encarar essa situação como prioridade e não vai querer deixar para depois e correr o risco de ficar sem a compra.

Seja positivo

neuromarketing seja positivo

Essa dica pode parecer sutil, mas tomar cuidado com o sentido do discurso do seus vendedores pode fazer uma baita diferença.

Isso porque o segredo aqui é procurar sempre ir pelo lado positivo da situação.

Ficou confuso? Então, vamos lá. Imagine que o produto pelo qual o cliente tenha se interessado não tem mais no estoque.

Sendo assim, em vez de simplesmente dizer a real, diga que ele será reposto em breve, mas que no momento você tem um produto similar tão bom quanto aquele.

Dessa forma você dá uma explicação satisfatória ao consumidor e ainda apresenta uma solução imediata para aquele problema, o que vai fazer o cliente nem se lembrar de ficar bravo com o fato de o que ele queria estar esgotado.

Ajude o cliente a ter foco

neuromarketing ajude o cliente

Tomar decisões é sempre complicado, e quando elas envolvem dinheiro fica ainda mais difícil.

Por isso, ao apresentar os seus produtos ao cliente, procure reduzir as opções e se concentre naquelas que mais se adequam as necessidades dele.

Assim o processo de venda é otimizado e não será uma tortura para o consumidor encarar essa etapa.

Neuromarketing exemplos

neuromarketing exemplos

Já exploramos bastante as técnicas de neuromarketing, então agora é hora de ver como é que a metodologia funciona na prática.

Isso porque vimos que existem certos aspectos da estratégia que precisam de um prévio conhecimento dos hábitos e preferências do público.

É aí que entra o neuromarketing, pois com uma amostra dessa audiência é possível desenvolver todas as técnicas vistas até aqui.

Para exemplificar, existem dois cases muito famosos no setor. O primeiro deles é de uma pesquisa realizada pela Coca-Cola e a Pepsi.

Em um teste cego, 16 participantes tiverem seu cérebro escaneado para observar a resposta cerebral quando as bebidas eram consumidas.

Enquanto as pessoas não sabiam qual marca estavam consumindo, a batalha ficou empatada e se notou que o centro de recompensa do cérebro foi ativado.

Agora quando os participantes já conheciam a marca de cada copo, a Coca ganhou de lavada, tudo graças as lembranças felizes associadas a empresa.

Tanto é que nessa hora se notou atividade nas áreas do cérebro responsáveis pela memória e ensinamentos culturais: exatamente o foco das estratégias de marketing da marca.

Outro exemplo nessa linha é das famosas sopas em lata da marca Campbell, que só decidiu mudar a sua icônica embalagem depois de uma pesquisa entre seus consumidores.

Com elas a empresa buscou entender as sensações que o produto desperta para tentar replicar isso em seu logo.

Foi assim que eles chegaram a conclusão que era melhor diminuir o tamanho do logo, retirar as colheres da embalagem e dar destaque a sopa com cores vibrantes para transmitir a sensação de aquecimento e aconchego.

E-book - Como crescer sua empresa com marketing digital

Aprendeu o que é neuromarketing? Então mãos à obra!

Nesta publicação você aprendeu o que é neuromarketing e viu que essa metodologia não é uma forma de fazer Marketing e sim de entender o comportamento do cérebro quando exposto a algum estímulo.

E isso é importante, pois dessa forma é possível conhecer todo o processo de formação de tomada de decisão e assim saber quais são os estímulos certos que deve usar para que possíveis clientes realizem a ação desejada por você.

Para isso, te mostramos aqui algumas boas práticas para inserir na sua estratégia e assim conseguir despertar esses gatilhos mentais a favor da sua empresa.

Além disso, você viu que grandes empresas, como a Coca-Cola, já estão utilizando técnicas de neuromarketing para otimizar suas campanhas.

Agora você está esperando o que para entrar nesse time? E se quiser mais dicas, confira nosso artigo sobre tipos de marketing.

2019-08-08T16:16:55-03:00

Deixar Um Comentário

Diagnóstico Gratuito do seu Marketing Conheça a Plataforma Ideal Marketing