Use o marketing político para educar eleitores de forma eficiente e responsável

Use o marketing político para educar eleitores de forma eficiente e responsável

Ícone Ideal Marketing

Por:

Publicado: 9 de maio de 2018 | Atualizado: 15 de agosto de 2019.

O marketing político é uma forma de informar os eleitores em diferentes épocas do ano, não necessariamente durante as eleições. Com ele é possível mostrar a um eleitor as diferentes decisões que ele pode tomar, diante da realidade social e política do país. Mas como fazer isso com responsabilidade?

Está sem tempo de ler agora? Baixe este conteúdo e acesse offline

Pode não parecer, mas por trás de todos aqueles jingles, frases emblemáticas de candidatos, cores e tudo mais de um partido político existe um especialista em marketing político.

Esse é o profissional que pensa e monta todo um modelo de marketing para esse ou aquele candidato com base em pesquisas, estilo dos eleitores e no próprio partido.

Dessa forma, fica sob responsabilidade do especialista em marketing político cuidar de tudo que esteja relacionado aos cuidados com a imagem e a divulgação de um político e suas propostas.

Para isso, o “cara do marketing” precisa reunir uma equipe de comunicadores eficiente, desde assessores de imprensa até designers para ter cada detalhe relacionado a campanha sob controle dele.

Assim as chances de um candidato se tornar “conhecido” por seus eleitores é muito maior do que apenas entregando os famosos “santinhos”.

Neste artigo vamos explicar o que é essa vertente do marketing e por que utilizar os métodos do marketing político para educar eleitores. Dá só uma olhada nos tópicos desse conteúdo:

O que é marketing político?

O que é marketing político

Tudo começou com um velho conhecido da História mundial, o ditador italiano Benito Mussolini em 1922. Ele foi o primeiro a utilizar estratégias para mobilizar a sociedade em prol de um ideal político.

Essa difusão de ideias se deu por meio de carros de som que na época aumentavam a influência política do homem.

Depois de Mussolini, em 1952 o candidato a presidência Dwight Eisenhower proporcionou uma reviravolta completa no cenário político americano.

Ele contratou uma agência publicitária (nicho de mercado em ascensão nos EUA) para cuidar da sua campanha eleitoral, o que fez com que Eisenhower se tornasse o 34° presidente da maior potência econômica do mundo.

Fala se esse resultado não foi positivo?!

Agora, falando um pouco mais em terras Tupiniquins, o Brasil foi apostar no que hoje é conhecido como marketing político por volta dos anos 50 e 60.

Você lembra de algum político famoso dessa época?

Sim, ele mesmo!

Getúlio Vargas foi o 14° e 17° presidente do Brasil e responsável por uma mudança no cenário social e político, principalmente durante o segundo mandato.

Vargas contratou um profissional de marketing para cuidar das suas campanhas, e acabou escolhendo uma pessoa que fez estágio com os assessores de Mussolini, aquele ditador, lembra? O.O

É claro que de lá para cá muita coisa aconteceu no contexto político do país, uma delas foi a ditadura militar, que também se aproveitou bastante do trabalho dos especialistas em marketing para promover suas ideias.

De qualquer forma, com o passar dos anos as pessoas começaram a adotar métodos um pouco mais eficazes para conquistar eleitores por meio de ações de marketing que buscam informar.

Por isso, uma campanha eleitoral precisa tanto da eficiência do marketing para ter sucesso.

Marketing político hoje em dia

Uma pergunta que as pessoas deveriam fazer umas para as outras é se elas se lembram de quem votaram nas últimas eleições e se acompanham essas pessoas com frequência para cobrar as promessas.

Isso é um exemplo da falta de responsabilidade que a grande maioria dos eleitores tem com relação a quem eles colocam no poder.

Mas essa culpa, apesar de ser em grande parte dos eleitores, também pode ser dividida com os políticos que não possuem uma equipe de marketing político eficiente.

Afinal, o marketing político é um conjunto de técnicas de publicidade voltadas para aproximar um eleitor do seu candidato.

Por isso, a ideia por trás dessa técnica é fazer um eleitor perceber o quão importantes e necessárias são as propostas de determinado candidato para sua cidade, estado ou para seu país.

Além disso, existe a possibilidade de conquistar a confiança de quem já votou no candidato e obter mais eleitores e essa é uma das principais razões de utilizar esse método, mas não é o único.

Por que usar o marketing político digital?

Por que usar o marketing político digital

Dentro de um ambiente eleitoral as pessoas ficam muito mais suscetíveis a crítica, principalmente quando essa é direcionada ao cumprimento de promessas feitas em campanha.

Aqui entram os investimentos feitos em profissionais de marketing político, afinal, são eles que deverão cuidar de cada detalhe relacionado a comunicação de uma campanha eleitoral.

Por isso essa estratégia digital precisa ser constante nas campanhas eleitorais hoje em dia, afinal, quanto mais crítico é o povo, mais informações ele quer sobre determinado candidato.

Desse modo, com uma atuação firme e constante na web usando as redes sociais e até mesmo o blog do partido, é possível sanar dúvidas e até mesmo resolver alguns problemas.

Além disso, com uma participação mais eficiente na web, é possível conhecer a realidade social das pessoas diante dos depoimentos e mensagens enviados por elas.

Sendo assim, o marketing político digital funciona, principalmente, para mostrar ao eleitor quais são as propostas de um candidato de forma mais aproximada com as necessidades das pessoas comuns.

É pensando justamente nessa necessidade de ouvir o eleitor que o marketing político precisa focar suas estratégias em aproximá-lo do candidato ou partido.

Até porque, quando uma pessoa não fica ciente das propostas de um candidato, é mais difícil verificar o trabalho feito por ele no final de um mandato e isso é ruim para a população.

Ruim por quê?

Como você pode cobrar um político de não cumprir as promessas que você desconhece?

Por esse motivo existem dentro do marketing político tipos específicos de marketing que devem ser usados nos momentos certos de uma campanha, justamente para evitar problemas assim.

Continue lendo que a gente te mostra quais são essas ramificações do marketing político.

Conheça os tipos de marketing político

É preciso ficar atento ao momento certo de usar determinados tipos de marketing, justamente porque cada um deles possui um direcionamento específico.

Ficou curioso? Dá só uma olhada:

Marketing Eleitoral

Como o próprio nome já diz, este é o tipo de marketing voltado para o momento da campanha.

Nessa estratégia o objetivo não é apenas ganhar uma eleição, mas construir uma imagem forte e mais carismática do candidato perante o público. Mas para isso é preciso cuidar de estratégias permanentes.

Esse tipo de marketing político funciona quando o objetivo das campanhas já está estipulado.

Depois de definir o público do candidato, é preciso elaborar slogans, propagandas, textos, scripts e uma série de imagens que possam se conectar com o perfil desse eleitor.

Depois de definir qual o perfil do eleitor o qual o candidato vai direcionar sua campanha, é preciso definir os temas abordados, quais os planos de governo, qual a linguagem que será utilizada, oratória e a vestimenta.

Sim, a vestimenta!

Um político que vive engravatado para cima e para baixo não transmite a imagem de “gente como a gente“. É preciso aproximar o candidato dos eleitores o máximo possível, sempre.

Vale lembrar que o tanto o político quanto o marketing eleitoral são conceitos distintos mas não se anulam. As grandes estratégias de marketing para política utilizam ambos os tipos de marketing para trabalhar.

Um focado no contexto geral da pré-campanha e pós-campanha e o outro é direcionado as partes técnicas da campanha em curso.

Marketing pós-eleitoral

Campanhas de marketing feitas depois que o candidato foi eleito.

Esse tipo de campanha eleitoral possui o objetivo de manter maior proximidade do candidato com os eleitores para que esses acompanhem de forma mais fácil os trabalhos executados.

Uma grande característica desse tipo de marketing é a presença do candidato nas redes sociais, principalmente para manter os eleitores a par de tudo o que tem sido feito na gestão.

Além disso, é muito importante que o político eleito mantenha uma presença frequente em eventos relacionados a obras, melhorias e em eventos sociais.

Isso fortalece a ideia de que o político está sabendo da realidade de determinada região e que se preocupa com isso e essa preocupação conta muito nas estratégias de marketing para política.

Marketing partidário

Esse modelo de marketing político é muito difundido nas redes sociais, na televisão e nas rádios quando a ação de divulgação é voltada para a imagem de um partido político.

Por isso a maioria dos partidos políticos no país usam desse tipo de marketing para divulgar ideias, candidatos, propostas e para conseguir novos afiliados.

Afinal, é preciso manter uma presença constante na internet, seja por meio de blog, site, rede social, televisão e até mesmo nas rádios para que os eleitores conheçam as ideias do partido.

Assim, o marketing partidário passa a nutrir os eleitores com a intenção de manter um diálogo próximo do partido com eles.

Porém, algo que você precisa ficar muito atento é a proximidade das campanhas do partido com o público jovem.

Conheça os tipos de marketing político

BÔNUS: Exemplos de marketing político

Existem diversos modelos de marketing para política no mundo mas alguns realmente se destacam pela eficiência, criatividade ou até mesmo pela sinceridade atreladas à imagem do candidato.

Para que você entenda melhor, separamos algumas imagens de campanhas eleitorais notáveis. Confira!

Obama

Com quase três anos de mandato, o então presidente americano Barack Obama decidiu usar as redes sociais para se aproximar um pouco mais dos seus eleitores e isso gerou um tremendo sucesso do homem mais poderoso do mundo.

Putin

Outro político que também utiliza o marketing político digital para divulgar ideias, novidades e para ter uma aproximação maior com os eleitores é o então presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Getúlio vargas

Aqui no Brasil as propagandas políticas tiveram início nos governos de Getúlio Vargas e se concretizaram como uma forma muito eficiente de fazer alguém votar em uma pessoa pelo simples fato dele aparecer mais nos jornais da época que os concorrentes.

Outro homem que utilizou muito do marketing político para difundir suas ideias é Adolf Hitler. O ditador utilizava o trabalho do marketing para divulgar suas ideias e convencer os alemães de suas propostas.

Percebeu o poder que o marketing político tem na sociedade e, em alguns casos, na história?

Dependendo das intenções do candidato (e das circunstâncias políticas do país) o trabalho do marketing político pode mudar completamente a história do mundo.

Divulgar com responsabilidade para mudar o futuro de um país

Não basta apenas trabalhar a divulgação de uma campanha política ou de um candidato se ele próprio não direciona suas propostas para suprir as necessidades sociais e econômicas de determinada região.

O trabalho dessa estratégia é garantir que os candidatos mostrem a real intenção deles com as candidaturas, além de promover a aproximação do político com os eleitores.

Por isso, o prestígio do marketing político e eleitoral é notável nas últimas eleições.

Então, para que você possa auxiliar um candidato a mudar a história do seu bairro, da sua cidade, do seu estado e é claro do seu país, comece cuidando para que exista uma aproximação entre aquele que promete e aquele com poder de voto.

Só assim você educa o eleitor direcionando-o para o candidato mais parecido com seus valores pessoais e trabalha de forma responsável o cuidado com a campanha eleitoral de uma pessoa ou partido.

2019-08-15T12:31:22-03:00

Deixar Um Comentário

Diagnóstico Gratuito do seu Marketing