A cultura do linkbuilding em cada região

Ícone Ideal Marketing

Por:

Publicado: 14 de setembro de 2021 | Atualizado: 14 de setembro de 2021.

Um dos principais fatores de rankeamento do Google é a disponibilidades do link de um determinado site dentro de um artigo publicado em outro site. Quanto mais links um site tiver, melhor é o seu posicionamento na principal plataforma de busca. O nome dos profissionais que atuam nessa área é link building.

Os recém experts em construção de links geralmente entram para o mercado dispostos a aplicar todas as técnicas que absorveu durante os estudos, contudo pode encontrar algumas dificuldades para furar a “bolha” de profissionais da área em seu próprio país e no exterior, visto que é preciso jogar o “jogo” de acordo com cada cultura. 

Assim como em outras profissões, a profissão de linkbuilding possui alguns esquemas internos que já fazem parte do negócio. Sem contar que os trabalhadores de alto nível, muitas vezes, se blindam, pois o grau de especificidade inerente ao fortalecimento de um site nas redes é altíssimo. Sendo assim, este não é o melhor local para amadores. 

Cultura linkbuilding em alguns países

No Brasil

No Brasil, ainda que os links buildings possuam suas redes de contatos e entre si se fortaleçam uns aos outros, há algumas divergências entre eles. Enquanto uma parte trabalha, não propositalmente, na desvalorização do mercado, quando derrubam o preço das publi-editoriais, facilitando o acesso aos maiores sites. Outra parcela prefere valorizar tanto o seu trabalho, como as publicações nos portais. 

Índia

Já na Índia, país com bons profissionais, já não há esta divisão. De modo amplo, os links buildings não valorizam a veiculação dos artigos em um site. Por lá, espaços publicitários são vendidos por valores completamente abaixo do aceitável no Brasil, podendo chegar a U$2.

Todavia, esse comportamento, de total desvalorização dos sites, pode ser facilmente explicado pelo fato de muitos deles, e no Brasil também existe esse grupo, criarem sites com apenas essa finalidade: vender publicação ou link.

Nesses casos, não há preocupação com o conteúdo publicado, nem mesmo com questões estéticas do site. Entretanto, quando a fraude é descoberta pelo Google, o site sofre severas penalizações, podendo até mesmo ser retirado do ar, por justamente infringir as regras da plataforma.

Vale ressaltar que na Índia ainda existem muitos profissionais sérios. 

Europa

Os sites europeus são muito cobiçados pelos linkbuindins que estão abaixo da linha do Equador, pois acreditam que pelo fato do continente reunir países economicamente estáveis, uma vez que o link do seu site é inserido nesses sites, ele será mais fortalecido, em relação à sites do seu país de origem.

Criar linkagem internacional é importante, entretanto não é um fator que carrega consigo tanto peso quanto se imagina.

Para um brasileiro ou indiano publicar em sites europeus pode custar mais caro, tendo em vista o alto preço do euro. Já no caso de vice-versa não há grandes dificuldades. Sendo assim, quando um europeu quer divulgar seu site por aqui costuma, muitas vezes, nem haver negociação de valores, já que, por exemplo, U $100 para muitos deles pode não ser um investimento muito alto. 

Chineses e japoneses 

Não é tarefa fácil encontrar link buildings chineses, coreanos ou  japoneses, pois estes, em sua grande maioria não realizam networking por meio das redes sociais. O contato direto com os sites também é muito difícil. 

Certamente eles estão fechados para esse tipo de parceria de negócio. 

Norte Americanos

Os americanos são muito sutis em suas estratégias. Por este motivo não é comum vê-los oferecendo seus sites na web.

Eles são extremamente cuidadosos no que tange aos conteúdos, ou seja, ainda que a oferta de valor seja muito boa, eles realizam profundas avaliações antes de veicular em seus portais. Não era para menos, visto que a empresa Google é estadunidense, todo cuidado é pouco. 

Ilusões dos linkboudings

Estratégias mal elaboradas, artigos repleto de erros gramaticais, sem sentido algum, ou sem fundamentação especializada,  material em que não são usadas técnicas de SEO, fotos roubadas de outros sites. Engana-se profundamente o profissional de linkbuilding que acredita alcançar o sucesso em um site com apenas quantidades de links de encaminhamento. 

Sem estratégia e muito trabalho minucioso, os esforços acabam sendo em vão.

 Quem entra para o ramo pensando em ficar rico da noite para o dia, semelhante a uma pessoa que ganha na Loteria Federal, cai do cavalo, muitas vezes mais rápido do que o esperado. Afinal, como já foi escrito aqui, este não é um espaço para amadores. 

Aperfeiçoamento de técnicas 

Um profissional SEO que deseja se destacar ante aos demais precisa estar continuamente atualizado. 

Acontece que para tentar “brecar” as constantes tentativas de fraude, o Google atualiza seus algoritmos, a fim de ranquear apenas aqueles conteúdos que vão de fato suprir as demandas dos usuários.

Por esta razão o linkbuilding deve estudar para além das técnicas básicas, as frequentes atualizações da plataforma. Esse segundo pode ser realizado por meio de testes, ou mesmo, ser descoberto em conversas com a rede network.